Rua Dona Adma Jafet, 50 - 13º andar - Cj 131/132  - Bela Vista      São Paulo, SP 01308-050

+ 55 11 3231-3499

©  2019 

Rastreamento e detecção precoce de câncer intestinal

A detecção precoce do câncer é uma estratégia para encontrar um tumor numa fase inicial e, assim, possibilitar maior chance de tratamento.



1) Todo mundo tem risco para câncer intestinal? Sim, 85% da população tem essa possibilidade. 2) O que é rastreamento e quando inciar? Rastreamento é procurar em pessoas assintomáticas a presença de algumas doenças como o câncer colorretal. Deve-se iniciar o rastreamento aos 50 anos para as pessoas que estão fora do grupo de risco  e deverá ser  repetido apenas uma vez a cada 5 anos.  3) Existe uma maneira de prevenir? A melhor maneira de prevenir é, à partir dessa idade, passar por consultas periódicas com um proctologista para realizar os exames necessários. Além disso, a manutenção do peso corporal adequado, a prática de atividade física, assim como a alimentação saudável são fundamentais para a prevenção do câncer de intestino.

4) Qual a diferença entre pólipo, adenomas com displasia, displasia moderada e displasia alta?   Pólipo é o crescimento de um tecido inadequado para a mucosa do intestino grosso. Adenomas são os mais frequentes e a histologia são de linhagem benigna, a medida que sua constituição poderá ser da forma tubular ou vilosa. De acordo com as alterações das células que constituem  esse tecido essas alterações podem ser classificadas leves ou de alto grau de risco, aproximando-se assim da formação do câncer.  5)  Descobri que tenho um pólipo ou adenoma. Quais são os próximos passos?  Fazer sua colonoscopia de acordo com o tipo de pólipo ou adenoma anual ou bi-anual. Em muitos casos, os pólipos e adenomas, quando detectados em estágio inicial, podem ser retirados durante a própria colonoscopia. Por isso a importância de realizar o rastreamento, uma vez que os pólipos podem ser diagnosticados e retirados antes que eles tenham a chance de se transformar em câncer. 6) Depois da retirada, como será o acompanhamento?  O acompanhamento varia com o tipo de pólipo, da quantidade e tamanho deles. Se o pólipo for adenomatoso, mas de baixo risco será necessário realizar uma colonoscopia a  cada 2 anos. Agora, se for de alto risco, a colonoscopia deverá ser realiza de 6 em 6 meses. 


Sua saúde